Preço de material de construção: composição e onde consultar.

Aposto que você vai concordar comigo se eu disser que o preço de material de construção não é apenas o que se vê na etiqueta. Afinal, o material precisa ser transportado, aplicado e, por fim, utilizado na obra. E em cada uma dessas etapas há custos embutidos. E todos eles acabam por impactar no preço de material de construção.

Se todos esses diferentes itens marginais não forem considerados corretamente, os efeitos no orçamento da sua obra podem ser realmente nefastos. Tenho certeza de que você não quer que isso aconteça, não é mesmo? É por isso que agora vou te ajudar a entender direitinho como é composto o preço de material de construção.

Clique aqui para visualizar preços e fornecedores de material de construção

Ao longo desse post você vai ver quais são todos esses itens. Mais do que isso, como influenciam o preço de material de construção. Para que fique bem explicado, vou começar falando sobre quais são os custos envolvidos numa construção. Depois, como eles são compostos e como se relacionam entre si, e, por fim você vai ver como nem sempre o material mais barato é o mais vantajoso para sua obra.

E aí!? Está pronto para ver o que é o real preço de material de construção?

Então vamos nessa.

Classificação de custos de construção

Podemos dizer que o custo de uma construção, considerando todas as etapas de uma obra, pode ser dividido em cinco grupos: 

  • Projetos e consultorias: Aqui é que entram os custos com projetistas como arquitetos, especialistas em fundações, consultorias em revestimentos, por exemplo;
  • Custos diretos de obras civis: É nessa categoria ficam os materiais de construção de fato. Ou seja, aço, concreto, cimento e porcelanato, por exemplo;
  • Despesas indiretas: Sabe os custos com cópias e impressões, cafezinhos, viagens, assistentes e demais custos de escritório? É aqui que eles entram;
  • Remuneração da construtora: Basicamente, a taxa de administração e a margem de lucro da construtora com o empreendimento;
  • Impostos e taxas: Este item contempla todos os tributos e contribuições recolhidos, como IRPF, PIS, ISS etc.

1

Nesse momento você deve estar em dúvida sobre onde, afinal, queremos chegar, certo? Pois saiba que para saber o preço de material de construção real você precisa ter conhecimento de dois conceitos:

  1. Como os custos de construção se classificam.
  2. Como os custos são compostos.

Composição de custos de construção

Como já dissemos, o preço de prateleira de um produto – aquele que a loja informa – não é o custo final de um material. Afinal, um material só tem valor se tiver utilidade. E, para isso, precisa estar incorporado à obra. 

E qual o custo para que isso aconteça? É aí que entramos no conceito de CPU ou Composição de Preço Unitário.

Para explicar melhor, vamos usar uma tabela da CPU de execução de alvenaria:

 

Composição do Preço de Materiais de Construção
Fonte: http://pedreirao.com.br/cpu-composicao-de-preco-unitario-passo-a-passo

 

Repare como o preço de material de construção total foi de R$ 38,21.

No entanto, o preço de custo final chegou a R$ 61,98 para executar um metro quadrado de alvenaria.

Isso tudo porque foi preciso somar o valor da hora trabalhada de pedreiros e serventes para chegar ao custo final do serviço.

Ao dividir o valor do salário de cada um pela quantidade de horas trabalhadas, vamos saber o valor da hora/homem. Ao multiplicar pelo tempo que leva para um metro quadrado de parede ser executado vamos chegar a esses números.

E esse valor pode ser ainda maior!

Afinal, é preciso considerar o custo do frete, de eventuais perdas de materiais e as despesas indiretas relacionadas à execução. Ou seja, despesas administrativas, comerciais, financeiras, tributárias etc. Além, claro, do custo de mobilização e manutenção do canteiro, dentre outros. Leia o artigo sobre erros em compras e no gerenciamento de obras pra você entender mais do que estou falando.

Claro que um metro quadrado de parede de alvenaria não é responsável por todo o custo administrativo do canteiro. Mas cada pedacinho da construção entra no rateio do projeto. E para saber o preço de material de construção final é preciso somar o valor proporcional. 

Nesse ponto já podemos concluir uma coisa:

O mais caro pode sair mais barato

Normalmente, ao cotar materiais de construção, provavelmente você pode optar por avaliar primeiro preço. Mas nem sempre essa pode ser a melhor solução para o seu projeto.

Primeiro porque é imprescindível pensar em qualidade. Comprar produtos que não atendam a níveis mínimos de desempenho é o primeiro passo para aumentar custos, nesse caso, aquele velho ditado: “o barato sai caro”. Afinal, a norma de desempenho (NBR 15575) prevê punições ao construtor que não seguir suas orientações. Ou seja, o construtor pode ser obrigado a ressarcir o cliente caso seja constatada falta de atendimento à NBR 15575.

Um segundo motivo para acreditar que o custo pode ser menor mesmo que o preço de material de construção seja maior é a produtividade.

Para entender, vamos ver o que houve num comparativo entre uso de alvenaria estrutural e concreto armado. Na obra residencial em questão, a alvenaria estrutural custaria 1,3 vezes mais que o fechamento em blocos comuns.

No entanto, a análise completa dos orçamentos dos dois sistemas construtivos revelou economia de 8,01% com uso de alvenaria estrutural. Isso porque, dentre outros fatores, tal sistema demandou 11,56% menos mão de obra. Ou seja, o sistema se mostrou mais vantajoso quando a análise extrapolou o preço de material de construção.

Note que não foi o material em si que proporcionou economia, mas a produtividade que ele proporcionou. Consumiu horas a menos em quantidade suficiente para pagar o investimento a mais no produto e ainda sobrar um pouco.

Imagem 2 Preço de Material de Construção

Análise ampla de preço de material de construção

Assim como esse exemplo, todos os demais itens de uma construção merecem uma análise além do preço de material de construção. Somente assim será possível saber se um material, aparentemente mais caro, é ou não vantajoso. Além de mão de obra, ele pode proporcionar economia de tempo à sua construtora. Com isso, é possível entregar a obra antes, o que pode ser benéfico para empreendimentos como supermercados, por exemplo.

Certo, mas e se o cliente não fizer questão de uma obra rápida?

Ora, isso pode ser vantajoso para sua construtora. Obras mais rápidas significam menor tempo de mobilização de canteiro. Logo, menos tempo de escritório. Resumidamente, menos despesas indiretas.

Além disso, menor risco de comprometer o fluxo de caixa da obra pelo adiamento da realização do lucro.

Alguns outros exemplos de riscos relacionadas à análise estrita sobre o preço de material de construção:

  • Indisponibilidade das equipes;
  • Perda de credibilidade perante o mercado;
  • Perda de clientes e devolução de parcelas;
  • Indenizações a clientes por danos morais e materiais.

No entanto, não pense que obra rápida é sinônimo de economia. Há casos em que é interessante aproveitar o prazo longo de obra para parcelar o pagamento dos materiais. Ou seja, equilibrar o fluxo entre o que é recebido e o que é desembolsado.

Homem Bravo Preço de Material de Construção 

não pense que obra rápida é sinônimo de economia

É por isso que a análise do preço de material de construção tem que ser ampla.

Ao avaliar o preço de material de construção é interessante avaliar também se vale mais a pena comprar à vista ou parcelado. Caso a empresa esteja com boa saúde financeira, pode ser vantajoso aproveitar descontos à vista.

Quando o fluxo de pagamentos depende do fluxo de recebimentos, no entanto, pode ser interessante explorar as vantagens do parcelamento.

Conclusão

São muitos os fatores a serem levados em consideração na avaliação de preço de material de construção. Na construção, quase nunca o preço anunciado pelo fabricante ou distribuidor é o único desembolso a ser feito.

Cada construtora tem uma realidade e cada obra tem suas características peculiares. Por isso, na cotação de materiais é preciso levar muitos fatores em consideração.

A cotação de materiais envolve conceitos de industrialização, mobilização de canteiro, produtividade, engenharia financeira e de custos, dentre outros.

Fique atento para não colocar a sua construtora em má situação.

E na sua construtora? Será que estão levando em conta o preço de material de construção? Comente abaixo se o barato está saindo caro no bolso de suas obras.

Facebook Comments