PBQP-H: Saiba como e por que implantar

A importância da qualidade e da produtividade na construção de habitações é indiscutível, não é mesmo? E só podemos saber se as nossas obras estão produtivas e têm boa qualidade se tivermos bom parâmetros, concorda? É por isso que neste post vamos te apresentar as características e exigências de um dos principais instrumentos da qualidade e produtividade na construção. Sim, vamos falar sobre o PBQP-H (Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat). Mais especificamente, sobre como o PBQP-H avalia e monitora a conformidade no setor da construção civil.

Você vai ver como, por meio do PBQP-H é possível, por exemplo, promover a melhoria contínua de processos dentro da sua construtora.

Parece interessante, não é mesmo?

Mas antes de mais nada, precisamos esclarecer:

O que é PBQP-H?

11

 

 

 

 

 

Em 1996, o Brasil assinou a chamada Carta de Istambul durante a Conferência do Habitat. Isso significa que o país como um todo se comprometeu a organizar o setor da construção para atingir duas metas principais:

  1. Melhoria da qualidade do habitat
  2. Modernização produtiva da indústria da construção

Certo, parece muito bom! Mas você deve estar se perguntando como isso pode acontecer.

De acordo com o PBQP-H, por meio de um conjunto de ações, tais como:

  • Avaliação da conformidade de empresas de serviços e obras;
  • Melhoria da qualidade de materiais;
  • Formação e requalificação de mão-de-obra;
  • Normalização técnica;
  • Capacitação de laboratórios;
  • Avaliação de tecnologias inovadoras;
  • Informação ao consumidor; e
  • Promoção da comunicação entre os setores envolvidos.

Quem vai fazer isso tudo? O setor como um todo!

Quem participa do PBQP-H?

De acordo com os princípios do PBQP-H, atingir as metas depende da participação ativa dos setores público e privado.

Somente assim será possível aumentar a competitividade setorial, promover a melhoria da qualidade de produtos e serviços, reduzir custos e otimizar o uso de recursos. É o que diz o Ministério das Cidades, o grande responsável pelo PBQP-H.

A participação de agentes privados no PBQP-H, no entanto, é voluntária. Os principais perfis participantes são:

  • Contratante: setor público. Atua no desenvolvimento de ações que integram o PBQP-H;
  • Agentes do Setor:
    • Fabricantes de materiais e componentes que atuam por meio de um Programa Setorial de Qualidade (PSQ);
    • Empresas de serviços e obras, por meio da participação no SiQ/SiAC (Sistema de Qualificação de Empresas de Serviços e Obras/Sistema de Avaliação da Conformidade de Empresas de Serviços e Obras, além do Acordo Setorial);
  • Instituições: agentes financiadores e de fomento. Utilizam seu poder de compra para induzir a melhoria da qualidade e o aumento da produtividade;
  • Consumidores: detêm o poder de compra para exigir qualidade e, assim, podem dar preferência a empresas comprometidas com o PBQP-H.

Neste post vamos focar nos Agentes do Setor.

Afinal, é para esses atores que existe uma importante ferramenta do PBQP-H, o PSQ (Programa Setorial da Qualidade).

Talvez você esteja se perguntando.

A importância do PSQ no PBQP-H

Um dos projetos do PBQP-H é o de Qualidade dos Materiais, o SIMaC (Sistema de Qualificação de Materiais, Componentes e Sistemas Construtivos).

“O SIMaC é o elemento propulsor do PBQP-h que tem como objetivo a isonomia competitiva na conformidade técnica da fabricação dos produtos.” (Danielle Lima – Especialista em Gestão da Qualidade e da Produtividade – Auditora Interna da Qualidade – Consultora de Empresas).

Uma das ferramentas do SIMaC é o PSQ (Programa Setorial da Qualidade).

Resumidamente, PSQ é um acordo setorial que pode ser organizado por entidades de classe ou associações, instituições públicas ou privadas, autarquias etc. Ou seja, por organizações que tenham representatividade em cada segmento.

Os PSQs articulam as ações de melhoria da qualidade dos materiais na indústria da construção. Atuam no combate à não-conformidade em normas técnicas conforme as diretrizes do PBQP-H.

Já são 25 os PSQs em andamento monitorados pelo PBQP-H. Alguns setores já extrapolaram 90% de conformidade. É o caso, por exemplo, de:

 

Material

Índice de conformidade Entidade responsável

Argamassa colante

92,40%

Sindicato Nacional da Indústria de Produtos de Cimento (SINAPROCIM)

Barras e fios de aço

100%

Instituto Aço Brasil (IABr)

Cimento Portland

98,90%

Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP)

Fechaduras

90,00%

Associação Brasileira da Indústria de Artefatos Metálicos para Construção (ABINCON)

Louças Sanitárias para Sistemas Prediais

97,00%

Associação Brasileira dos Fabricantes de Materiais e Equipamentos para Saneamento (ASFAMAS)

Metais sanitários

90,30%

ASFAMAS

Tubos e Conexões de PVC para Sistemas Hidráulicos Prediais 96,00%

ASFAMAS

 

Conformidade de materiais monitorada

Mas, afinal, qual a importância disso para a sua construtora? Cada PSQ conta com uma página na internet onde pode se consultado o respectivo Indicador de Conformidade. É o caso, por exemplo, dos Perfis de PVC para Forros.

Nessas páginas há  instruções sobre como participar dos PSQs caso você seja um fabricante. Mais do que isso, cada PSQ traz relatórios setoriais completos e atualizados, além da classificação completa dos fabricantes. Ou seja, ao consultar a lista completa de PSQs sua construtora pode contratar materiais apenas de empresas em conformidade com as normas pertinentes.

Se você estiver se perguntando por qual motivo isso é importante, saiba que contratar produtos em conformidade é uma das exigências do PBQP-H.

Mas ainda tem algo que você precisa saber!

Vantagens do PBQP-H para as construtoras

Se sua construtora quer atuar no âmbito do Programa Minha Casa Minha Vida, ela precisa atender às exigências do certificado PBQP-H. Além disso, há linhas de crédito que condicionam melhores taxas de juros à existência do certificado PBQP-HUm ganho difícil de mensurar, mas que representa o cerne do PBQP-H, é o de produtividades. Construtoras que contam com o certificado tendem a apresentar menores taxas de desperdício.

Logo, apresentam maior produtividade e, consequentemente, orçamentos mais precisos.

Sistema de Gestão da Qualidade

Basicamente, o PBQP-H orienta as construtoras a avaliar a conformidade de seus SGQs (Sistemas de Gestão da Qualidade). E faz isso por meio do monitoramento dos setores envolvidos, conforme pontua Danielle Lima. “Para cada processo é necessário que se determine métodos e critérios que assegurem o controle e a eficácia dos mesmos”, diz ela.

O resultado é a implementação das ações necessárias que não só possibilitam o atingimento dos resultados planejados como também, a melhoria contínua do processo. “Um exemplo desse monitoramento são as auditorias internas da qualidade”, afirma.

Mas, enfim, o que é Gestão da Qualidade?

A NBR ISO 9000 afima que o Sistema de Gestão da Qualidade tem como finalidade direcionar e controlar as ações de uma empresa quanto à qualidade.

O PBQP-H parte do princípio de que o sistema de gestão da qualidade (SGQ) verifica os processos da empresa e a forma como esses processos influenciam a qualidade dos produtos e serviços.

Os SGQs são pautados por três princípios fundamentais:

  • Princípios de Gestão da Qualidade: Foco no cliente, liderança, envolvimento das pessoas, abordagem de processo, abordagem do sistema para gestão, melhora contínua, abordagem dos fatos e benefícios mútuos com fornecedores;
  • Fundamentos de Sistemas de Gestão da Qualidade: Satisfação de clientes, requisitos, abordagem do sistema, abordagem de processo, política da qualidade, objetivos da qualidade, alta direção, documentação, avaliação, auditoria, análise crítica, autoavaliação, melhoria contínua, técnicas estatísticas, integração com outros enfoques e relação com modelos de excelência;
  • Termos e definições relacionados com a qualidade: Gestão, organização, processo, produto, características, conformidade, documentação, exame, auditoria e garantia da qualidade de processos de medição.

Como adequar a construtora ao PBQP-H

Agora que você já sabe o que é e qual a importância do PBQP-H, deve querer saber como fazer para obter o certificado para a sua construtora.

Há alguns pré-requisitos para solicitar a certificação PBQP-H:

No caso de empreiteiras, é preciso comprovar responsabilidade da empreitada global da obra por meio de contrato registrado em cartório com o proprietário da obra.

Os passos seguintes são:

  1. Enviar a declaração de interesse de certificação para o Ministério das Cidades;
  2. Proceder com a implementação do SiAC;
  3. Submeter a construtora à pré-auditoria;
  4. Aplicar para a Auditoria final.

Cada uma dessas etapas exige atendimento a regras específicas. Em muitos casos, é indicada a contratação de uma consultoria especializada.

Isso leva a outro ponto.

2

Custos para a construtora se adequar ao PBQP-H

O primeiro ponto é a construtora realizar a implantação e a adequação dos processos da construtora para se obter a certificação PBQP-H. É nesse primeiro momento que é recomendável contratar uma consultoria especializada para auxiliar no andamento de todo o processo. Uma vez que a construtora tenha realizado a implantação inicial dos conceitos do PBQP-H, é preciso contratar um organismo certificador independente. Essa entidade realizará auditorias para verificar a implantação.

“O custo é muito relativo, pois vai depender de diversos fatores, como o porte da construtora, o número de funcionários, o tempo de implantação, por exemplo”, diz Danielle Lima.

Entretanto, os custos devem ser encarados como investimento. Afinal, o atendimento às exigências do PBQP-H é visto como um diferencial competitivo no mercado da construção civil.

“Pode-se dizer que é uma maneira de sobrevivência no mercado perante a tanta concorrência, já que o certificado possibilita conseguir liberação de crédito e a participação de programas governamentais”, pontua Danielle Lima.

Além disso, há outras vantagens. É o caso, por exemplo, do estímulo que o PBQP-h dá a:

  • Otimização de recursos;
  • Redução de custos;
  • Desenvolvimento de processos de produção ou de execução;
  • Desenvolvimento de procedimentos de controle;
  • Ganhos na qualidade do produto;
  • Dentre outros.

Todos esses benefícios são proporcionados pelo PBQP-H e refletem a longo prazo na garantia dos imóveis. Ou seja, no padrão de qualidade dos empreendimentos que sua construtora realiza.

Evidentemente, há outras mudanças!

Influências do PBQP-H na relação com fornecedores

Fornecedores que fazem parte do PSQ ( Programa Setorial da Qualidade) têm a vantagem de ter um diferencial diante dos concorrentes. Afinal, se adequam às normas técnicas de fabricação pertinentes ao seu segmento.

Entretanto, os que não fazem parte do programa correm o risco de perder a construtora como cliente ou de diminuir seu potencial de venda. Isso porque a construtora precisa garantir a qualidade dos materiais específicos adquiridos.

Uma vez que o fornecedor atenda aos requisitos do PBQP-h, será mais difícil ele deixar de fornecer. As compras passam a ser realizadas de forma mais estratégica. Com isso, reduz a quantidade de cotações a serem feitas.

“O resultado é o estabelecimento de um relacionamento estável e de longo prazo decorrente da confiança no processo de compra estabelecida”, conta Danielle Lima.

É claro que há o risco de o processo de compra se tornar mais burocrático. É preciso atender aos requisitos estabelecidos e todos os fornecedores precisam ser periodicamente avaliados pela construtora.

Conclusão

O PBQP-H é um certificado que cada vez ganha mais importância no mercado. Atender aos requisitos de qualidade e produtividade estabelecidos pelo PBQP-H torna a construtora mais competitiva. É um sinal de que a empresa se preocupa e leva a sério o desempenho de seus produtos.

O processo de implantação não é complicado, mas exige atenção e é recomendável contar com apoio de uma consultoria. Além disso, é preciso ter muito bem estabelecidos os processos de implantação e controle da qualidade.

O resultado é acesso a fornecedores mais qualificados, linhas de financiamento mais vantajosas e programas governamentais promissores, como o Minha Casa Minha Vida.

Se você gostou desse post não deixe de comentar e compartilhar nas redes sociais, aproveite e confira como a curva ABC pode melhorar a gestão de sua obra

Facebook Comments