Construção sustentável: benefícios e casos de sucesso

Apesar da construção sustentável não ser novidade nos países mais desenvolvidos do mundo, suas aplicações no Brasil estão ganhando destaque e já se tornaram um grande diferencial de mercado.

Você provavelmente vai concordar conosco que a principal preocupação da indústria da construção civil sempre foi:

  • Economizar;
  • Buscar materiais de qualidade;
  • Buscar soluções para aumento de produtividade e lucratividade.

Mas, nos últimos anos a sustentabilidade também tem se tornado um fator muito importante dentro das construtoras. A busca por atitudes, produtos e rotinas de trabalho mais sustentáveis está ganhando cada vez mais importância no setor, o chamado construção sustentável está em alta!

Apesar dessa mudança no mercado, talvez você ainda tenha algumas dúvidas sobre como deixar a sua construção sustentável. Por isso, no post de hoje vamos mostrar a importância da sustentabilidade e como implementá-la na sua empresa.

giphy

Mas antes vamos esclarecer:

O que é construção sustentável?

Quando pensamos na palavra sustentabilidade, sempre associamos ao meio ambiente, mas vai muito além disso. Esse termo define ações e atividades que visam suprir necessidades atuais dos seres humanos sem comprometer gerações futuras.

Isso significa que a sustentabilidade está diretamente relacionada ao desenvolvimento econômico e material sem agredir o meio ambiente. Ou seja, utilizar recursos naturais de forma mais inteligente.

Por isso, seu significado tem como base três pilares:

  • Ambiental: implica no impacto a curto, médio e longo prazo no meio ambiente. A sustentabilidade ambiental existe para minimizar o máximo os impactos ambientais. Infelizmente, as pessoas usam medidas de compensação, como plantar árvores porque liberam gás carbônico no meio ambiente, mas não há compensação;
  • Social: tem influência direta e indiretamente na sociedade;
  • Econômica: oferece um produto com benefícios para os três pilares sem influência no custo. Afinal, existe um incentivo para ampliar a usabilidade desse tipo de material.

De acordo com dados do Worldwatch Institute, o setor da construção civil é responsável mundialmente por:

  • 40% do consumo de pedras e areias;
  • 40% do consumo de energia;
  • 16% do consumo de água;
  • 25% pela extração de madeira.

Por conta desses números elevados, criou-se o conceito construção sustentável que baseia-se no desenvolvimento de modelos que permitam à construção civil propor soluções e iniciativas para combater problemas ambientais.

Como construir de maneira sustentável

De acordo com o IDHEA, Instituto para o Desenvolvimento da Habitação Ecológica, há nove passos para a construção sustentável:

  1. Planejamento Sustentável da obra
  2. Aproveitamento passivo dos recursos naturais
  3. Eficiência energética
  4. Gestão e economia da água
  5. Gestão dos resíduos na edificação
  6. Qualidade do ar e do ambiente interior
  7. Conforto termo-acústico
  8. Uso racional de materiais
  9. Uso de produtos e tecnologias ambientalmente amigáveis

O blog TemSustentável listou 6 exemplos de construções sustentáveis no Brasil, dentre elas está o bairro Jardim das Perdizes em SP que tem como destaque:

  • Eficiência energética, com melhor aproveitamento do vento e da iluminação natural;
  • Vagas de garagem para veículos híbridos e elétricos;
  • Programa de compartilhamento de bicicletas;
  • Sistema de drenagem de águas pluviais;
  • Criação de uma central de reciclagem de resíduos de demolição durante as obras do bairro, que contribuiu para evitar circulação de cerca de mil caminhões pela cidade;
  • 50 mil m² de áreas verdes e mais de 40 espécies dentre 2.200 árvores

Jardim das Perdizes - SP

Se você acha que essa é uma realidade muito distante da sua, veja como a Porto Engenharia conquistou neste ano o selo Casa Azul Ouro da Caixa Econômica Federal com o Empreendimento Multiporto Indianópolis, de Caruaru.

Material para construção sustentável

O CIB (Conselho Internacional da Construção) afirma que a construção é a indústria que mais utiliza energia e mais consome recursos para sua atividade. Além de consumir recursos para produção de materiais novos, a construção também é responsável por uma quantidade enorme de desperdício. Mais da metade do lixo gerado pela atividade humana é proveniente da indústria da construção.

Por isso que em 2002 o Conama publicou sua resolução 307, fundamental para a construção sustentável. A Resolução 307 do Conama estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para gestão dos resíduos da construção civil.

Ao classificar os resíduos da construção civil, a legislação orienta sobre quais materiais podem ser reciclados por uma construção sustentável. Esses materiais são divididos em quatro classes:

  • Classe A: refere-se aos resíduos que podem ser reutilizados ou reciclados na própria obra como agregados. Ex: materiais cerâmicos, telhas, blocos, argamassa;
  • Classe B: são categorizados nesta classe os materiais que podem ser reciclados para outras utilizações. Ex: vidro, papel, papelão, madeiras;
  • Classe C: são aqueles que não podem ser reciclados ou recuperados, por isso seu uso deve ser mais consciente para evitar o desperdício;
  • Classe D: esses resíduos são classificados como perigosos e capazes de causar risco à saúde humana ou ao meio ambiente. Ex: tintas, solventes, ferramentas.

Vale ressaltar que:

O gesso, anteriormente, era caracterizado como Classe C pelo Conama. Mas, desde 2011, ele passou para a Classe B. Graças a Associação Brasileira dos Fabricantes de Chapas para Drywall estudos comprovaram que o resíduo é reciclável e reutilizável.

A utilização de materiais disponíveis na construção que possuem as seguintes características são considerados materiais reciclados:

  1. Pouco ou não-processados;
  2. Não tóxicos;
  3. São culturalmente aceitos;
  4. Propícios para a construção em regime de mutirões.

Mas é preciso estar atento para evitar o uso de materiais químicos prejudiciais à saúde humana ou ao meio ambiente. Tais como: amianto, CFC, HCFC, formaldeído, policloreto de vinila (PVC), tratamento de madeira com CCA, entre outros.

Construção sustentável

5 passos para reciclar materiais na construção

Mais do que diminuir o impacto dos resíduos no meio ambiente, a reciclagem é uma prática vantajosa para reduzir custos com o reaproveitamento de materiais, antes descartados, e do emprego de agregados reciclados, que possuem preço mais baixo.

Atualmente tem se tornado mais fácil reciclar materiais graças a existência de um mercado, em crescimento, de empresas de manejo, captação e valorização dos resíduos da construção. A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) inspira uma visão na qual a demolição, por exemplo, passa de geradora de entulho a fonte de matéria prima secundária.

Mas existem alguns passos simples que você pode começar a implementar na sua construtora para obter uma construção sustentável:

1 – Utilize materiais de baixo impacto ambiental

Busque materiais com matérias primas sustentáveis. Já existem disponíveis no mercado materiais que são feitos a partir da reciclagem, como por exemplo, as resinas feitas para tintas e vernizes através de garrafas PET.

2 – Faça a gestão de resíduos em seu canteiro de obras

Desde o início até a finalização da obra faça a gestão dos resíduos. Separe um espaço destinado para a classificação dos resíduos, isso facilita o processo de reciclagem;

3 – Oriente seus colaboradores sobre a importância da construção sustentável

Todos os seus colaboradores precisam entender a importância da reciclagem, da utilização correta dos materiais para evitar o desperdício e as possibilidades de reutilização e reciclagem. Você pode orientá-los através de palestras, avisos ou treinamentos. Além de garantir a qualificação, isso gera satisfação, aumento na produtividade e rentabilidade;

4 – Busque fornecedores que trabalhem com materiais secundários

Pesquise no mercado fornecedores que também se preocupem com a sustentabilidade e apliquem isso em seus produtos, utilizando resíduos recicláveis em seus processos de produção;

5 – Tenha selos de sustentabilidade

Além de garantir um diferencial importante para os clientes, fornecedores e colaboradores, os selos de sustentabilidade certificam produtos e serviços que se preocupam com a preservação ambiental e garantem benefícios para você e sua construtora.

E fique atento a nossa dica:

“Verifique na sua cidade ou onde está sendo feito o projeto, quais são as exigências para o licenciamento de transportadoras, aterros, empresas e cooperativas de reciclagem. No caso dos produtos enviados às ATT’s, vale se certificar se elas estão encaminhando os resíduos para empresas de reciclagem licenciadas.”

Conclusão

Tornar a sua construção sustentável lhe trará muitos benefícios, tanto pra você quanto pra sociedade por completo. Aplicando métodos ambientais no dia a dia do seu canteiro de obras é possível reduzir custos, ter aumento na produtividade e ainda incentivar que seus consumidores também tenham ações mais sustentáveis, preservando e melhorando o ambiente onde vivemos.

Além dessas vantagens, a imagem da empresa será afetada positivamente, pois irá refletir a responsabilidade frente a sociedade e ao meio ambiente. Os consumidores vêem a sustentabilidade na construção civil como algo importante e ter isso como diferencial em um mercado tão competitivo pode ser determinante para a sua construtora.

E você? tem implantado a ideia verde em sua construtora? Comenta aí alguma sugestão de construção sustentável que você aplica no seu dia-a-dia.

Facebook Comments